TOP 10 – Livros que marcaram minha vida

Há algum tempo que venho pensando em fazer um post sobre os 10 Melhores Livros, segundo minha opinião…

Algo que pareceu fácil em um primeiro momento, se tornou difícil logo após pensar sobre o assunto um pouco mais. Qual critério utilizar para chegar a uma lista de apenas 10 livros?

Os critérios que podem ser usados são vários: melhor história, melhor narrativa, gêneros específicos, autores específicos, etc.

Eis que decidi então, listar os 10 livros que de algum modo marcaram minha vida… acho que seria uma lista mais honesta…

Caso se interessou por algum livro, clique na imagem e saiba mais…

Então vamos lá…

10º lugar – Alice no País das Maravilhas

Título original: Alice in Wonderland

Autor: Carroll, Lewis

Editora: LPM

Ano: 1865

SINOPSE

“Alice no País das Maravilhas” conta a historia da pequena Alice, que sonha acordada enquanto ouve a sua irmã ler um “livro sem imagens” e, quando um estranho coelho passa a correr a seu lado, a falar sozinho, ela decide segui-lo. Enquanto Alice persegue o coelho através da sua toca escura, chega a um país encantado – ao País das Maravilhas. O que se segue é uma hilariante e engraçada aventura, descrevendo os encontros de Alice com os habitantes desta estranha terra encantada e misteriosa.

          

Esse livro é divertido demais. E por isso está aqui entre os meus 10 livros preferidos. O “país das maravilhas” é algo retirado de um sonho louco, um sonho louco de Carroll. Acho que foi o livro que minha mãe mais leu na vida dela para fazer uma criança chata dormir.

Criaturas antropomórficas sempre me agradaram, desde criança, e aqui temos uma gama enorme delas.

Não há nada mais engraçado que o capitulo 03 do livro “A Corrida-Caucus e uma longa história”.

Os animais discutindo entre si e para resolverem pequenos problemas eles propõem gigantescas soluções, e no final de tudo nada muda.

É um retrato da nossa sociedade. Você vê isso no seu serviço, na sua casa, na sua TV, e no seu País. Não gosto muito de filosofar e traçar paralelos entre livros e atualidade. Não sei muito, a ponto de encontrar crítica à sociedade em todo e qualquer livro. Mas em Alice, dá pra ver que o autor achava (assim como eu acho) desnecessária toda a pompa e as formalidades inglesas.

E talvez por isso, até hoje, eu ache o sistema inglês uma farsa cômica.

Frase marcante

“Eu posso contar-lhes minhas aventuras… começando por esta manhã”, disse Alice um pouco timidamente. “Mas não adianta contar desde ontem, porque eu era uma pessoa diferente ontem.”

  

 9º Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Título: Harry Potter and the Half-Prince Blood

Autor: Rowling, J. K.

Editora: Rocco

Ano: 2005

SINOPSE

Harry continua sua batalha contra o mal, ao mesmo tempo em que se aproxima mais de seu protetor e amigo Dumbledore. O livro mostra mais do que nunca a fragilidade de Harry ante a falta de seus pais e a trágica morte de Sirius Black, seu padrinho. Um antigo livro de feitiços que teria pertencido a um aluno de Hogwarts, que se chamava príncipe mestiço, é encontrado e Harry aprende interessantes e perigosos feitiços. O livro mostra detalhes do passado de Lorde Voldemort, seu antigo inimigo, desde o momento que este entra para a escola de bruxaria até tornar-se seu inimigo mortal. Mostra uma maturidade maior do que nos primeiros livros da série mostrando um Harry perdidamente apaixonado e fazendo com que esperemos ansiosamente o desfecho dessa batalha entre o bem e o mal.

          

Em uma lista onde cito os dez livros que marcaram minha vida teria espaço para Harry Potter?

Sim. Podem se surpreender. Não parece, em um primeiro momento, ser um livro tão grandioso para ter me marcado. E de todos os livros da série, por que este em específico?

A série Harry Potter é ótima, mas o motivo para o sexto livro estar na lista é que J.K Rowling saiu de uma zona de conforto e atingiu todos seus fiéis fãs com um golpe duro.

Eu não acreditei quando vi Dumbledore morrer. Esse livro foi um divisor de águas para mim onde um personagem principal, talvez com uma importância no desfecho da série, morre. O sentimento de perda que o livro me trouxe, realmente tocou.

Ainda bem que li HP antes de ler As Crônicas de Gelo e Fogo. Acho que ficaria traumatizado com tantas morte de personagens importantes para mim.

Frase marcante

“Harry, me desculpe, é que às vezes ainda vejo aquele menininho que dormia embaixo da escada, me perdoe, sou um homem velho”

   

8º Eu sou o Mensageiro

Título: The Messenger

Autor: Zusak, Marcus

Editora: Intrínseca

Ano: 2007

SINOPSE

A narrativa retrata a trajetória de um jovem taxista de 19 anos, já inclinado à frustração existencial, como toda sua geração, sem nutrir qualquer perspectivas para o futuro. O personagem mora sozinho em uma pequena residência alugada, com seu cachorro chamado Porteiro, que é louco por café. O protagonista mergulha em uma rotina mecânica, na qual ele não precisa se esforçar para ser alguém especial. Mas tudo se transforma quando, acidentalmente, ele se converte no herói da cidade ao impedir um assalto ao banco em que ele se encontra com os amigos. Ele se torna popular e, a partir daí, passa a receber estranhas cartas de baralho em seu correio residencial. Elas vêm sempre acompanhadas de um endereço, nunca são assinadas, trazem às vezes mensagens desprovidas de sentido imediato. Através delas, é guiado ao encontro de seres realmente carentes de auxílio, até então meros estranhos para ele.

          

Esse livro vive à sombra do livro “A Menina que Roubava Livros”.

Ambos os livros escritos por Marcus Zusak, são bons, mas o “Eu Sou o Mensageiro” é um livro leve, divertido, com um linguajar moderno e com uma mensagem maravilhosa.

Esse foi um dos primeiros livros que li fora do “mundo literário” que eu estava acostumado.

E gostei… muito! A partir daí passei a dar chances para livros com os mais diversos temas.

Se tiverem oportunidade e tempo, leiam. Esse livro traz ensinamentos ótimos para o nosso dia-a-dia, deixando qualquer livro de autoajuda no lugar onde deve ficar… na prateleira.

  Frase marcante

Você já percebeu que os idiotas têm uma porção de amigos? É só uma observação.

   

7º Tormenta de Espadas

Título: The Storm of Swords

Autor:  Martin, G. R. R.

Editora: Leya Editora

Ano: 2012

SINOPSE

Terceiro livro da saga “As crônicas de Gelo e Fogo”, A Tormenta de Espadas nos conduz para um reino dividido no pós-guerra, com alguns monarcas bem estabelecidos em suas posições e outros que lutam avidamente para se apegar a qualquer vestígio de realeza que possa ter sobrado a eles. Acompanhamos o novo posicionamento dos jogadores no intrincado tabuleiro de poder e morte criado pelo autor. Reis se tornam mais poderosos, conselheiros assumem seus papéis como “Mão” de seus soberanos, cavaleiros buscam honra ou vingança. Conforme os papéis vão ficando claros, torna-se evidente a fragilidade das posições no pós-guerra e arranjos se fazem necessários para que o poder conquistado se torne estável e duradouro. Qual a melhor forma de uma casa nobre se fortalecer? Casamentos, é claro. A corrida por novas alianças, forjadas por matrimônios e pactos entre casas poderosas, suas influências, dinheiro e, claro, exércitos. 

          

Foi com este livro que G. R. R. Martin finalmente cativou um leitor, que passou a ser fiel à sua narrativa.

10 entre 10 leitores dirão que este é o melhor livro de “As Crônicas de gelo e Fogo”.

Esse livro me fez ter certeza de que ler as quase 5000 páginas que completarão essa Crônica valerá cada segundo dispensado.

Este livro marcar uma nova era na literatura moderna. O estilo narrativo em POV (ponto de vista) são usados de uma forma perfeita. Todos personagens estão vivos, todos tem seus valores, e todos são amados/odiados pelos leitores. Nunca, um livro fez eu falar tanto sobre o tema.

Tanto é que, foram “As Crônicas de Gelo e Fogo” que me impulsionaram a continuar este blog.

É uma terapia ler e discutir o futuro da série. Teorias – Crônicas de Gelo e Fogo  (spoilers ao clicar).

Enquanto muitos passam horas falando sobre personagens das novelas e suas frases, eu passo horas discutindo sobre Westeros e seus habitantes, e além do Mar Estreito.

Martin com este livro especificamente deu um novo folego aos livros de fantasia medievais. Uma mistura de Tolkien e Cornwell e uma genialidade própria indescritível.

Frase marcante

“Valar Morghulis”

   

6º Eram Deuses os Astronautas?

Título: Erinnerungen an die Zukunf

Autor: Von Daniken, Erich

Editora: Melhoramentos

Ano: 1968

SINOPSE

Trata-se de um conjunto de perguntas sobre um conjunto de fatos que a nossa ciência simplesmente não tem resposta ou evita buscar devido do embaraço que tais especulações podem causar. O livro nos propõe, a princípio, uma simples teoria que relata como seria se uma civilização altamente desenvolvida cultural e tecnologicamente entrasse em contato com uma civilização primitiva; não seria difícil imaginar que os primitivos, acostumados a adorar o sol e lua, logo tratariam de adorar o visitante como deuses e mesmo que tentassem algum tipo de resistência logo seriam dominados pelo poder bélico desta civilização avançada, fato este que ocorreu na América com a chegado dos espanhóis e portugueses.

          

Este livro é espetacular. O autor nos mostram indícios de vida extraterrena de um modo que não menospreza a inteligência do leitor.

Fatos bíblicos cruzando com fatos históricos e monumentos levantados por povos antigos.

As pirâmides do Egito, as linhas de Nazca, os moais da ilha de Páscoa, a semelhança entre a posição retratada em monumentos de deuses maias com a posição dos astronautas em suas naves.

Com 15 anos, ler isso te leva a uma ”teoria da conspiração” muito saudável. Não acredito em área 51, em americanos escondendo OVNIS e nem em agências MIB no planeta. Mas vejo as antigas civilizações com outro olhar.

 

5º O Silmarilion

Título: The Silmarillion

Autor: Tolkien, J. R. R.

Editora: Martim Fontes

Ano: 1977

SINOPSE

Relata acontecimentos de uma época muito anterior ao final da Terceira Era, quando ocorreram os grandes eventos narrados em O Senhor dos Anéis. São lendas derivadas de um passado remoto, ligadas às Silmarils, três gemas perfeitas criadas por Fëanor, o mais talentoso dos elfos. Tolkien trabalhou nesses textos ao longo de toda a sua vida, tornando-os veículo e registro de suas reflexões mais profundas.

          

Se Tolkien recriou o mundo da fantasia medieval e seus livros são considerados a Bíblia da Fantasia, o Silmarillion é sem dúvida o Velho Testamento. Com uma narrativa diferente da narrativa encontrada no Senhor dos Anéis, Tolkien constrói com genialidade um mundo inteiro. Um mundo vívido com diversos povos, culturas, línguas e peculiaridades.

Percebi que Tolkien era responsável por tudo aquilo que eu jogava nos videogames, nas mesas de RPG e assistia na TV.

A trilogia de “O Senhor dos Anéis” é uma obra-prima da literatura, assim como “O Hobbit”, mas mesmo assim, a obra póstuma “O Silmarillion” tem um material histórico palpável, como se aquele mundo existisse de verdade, e isto é extraordinário.

Frase marcante

“É que da bem-aventurança e da alegria na vida há pouco a ser dito enquanto duram; assim como as obras belas e maravilhosas, enquanto perduram para que os olhos as contemplem, são registros de si mesmas; e somente quando correm perigo ou são destruídas é que se transformam em poesia.”

 

4º O Rei do Inverno

Título: The King of Winter

Autor: Cornwell, Bernard

Editora: Record

Ano: 2001

O Rei do Inverno é o primeiro de três livros que compõem As Crônicas de Artur. Como já fica claro pelo nome, a história gira em torno de Artur, tentando deixar ao máximo de lado o elemento fantástico que vemos nas lendas mais conhecidas (como Excalibur sendo entregue para Artur pela Dama do Lago), focando no aspecto real do que eram aqueles tempos e partindo do teoria de que não houve um rei Artur, mas um equivalente a um general extremamente amado e respeitado chamado Artur, baseada em muitas pesquisas e algumas evidências históricas.

          

Por muitos anos, só li livros de fantasia medieval, ou qualquer outro gênero que se remete à Idade Média.

“Parede de Escudos” Era isso que eu queria ler.

Cornwell é um escritor extremamente talentoso e está entre os meus cinco escritores favoritos.

Ele consegue inserir você dentro de uma batalha.  Você sente o hálito azedo de cerveja escura de seu inimigo, você sente o seu braço dolorido, quase dormente, enquanto grita e amaldiçoa os saxões do outro lado de seu escudo de carvalho.

Ler Cornwell é como voltar à Idade Média. É viver naquele tempo. Ninguém consegue isso. Ao menos não encontrei ainda.

O Rei do Inverno é o primeiro livro da trilogia “As Crônicas de Rei Artur”. Se tiverem a oportunidade leiam a trilogia toda. O livro desmistifica a lenda de Artur.

Vocês verão um Merlin, um Lancelot, uma Guinevere e um Artur diferente de tudo que viram nos livros e nos filmes.

O Rei do inverno foi por muito tempo uma referência minha sobre romances medievais.

Aprendi que os livros podem se aproximar da realidade sem perder a magia da leitura.

Um cavaleiro em armadura reluzente não consegue ser tão verossímil quanto um cavaleiro de ressaca, com peitoral de armadura enferrujado, estrume de cavalo no solado da bota, amaldiçoando seu cavalo magro.

Frase marcante

-Não seja estúpido, Derfel – reagiu Merlin impaciente. – Os druidas não têm permissão de escrever nada, é contra as regras. Você sabe disso! Assim que você escreve alguma coisa ela se torna fixa. Vira dogma. As pessoas passam a discutir a respeito, ficam autoritárias, referem-se aos textos, produzem manuscritos, discutem mais e logo estão matando umas às outras. Se você nunca escreve nada, ninguém sabe exatamente o que disse, de modo que sempre pode mudar. Será que tenho que explicar tudo?


 3º Enterrem Meu Coração na Curva do Rio

Título: Bury my heart in wounded knee

Autor: Brown, Dee

Editora: Circulo do Livro

Ano: 1973

SINOPSE

Trata-se de um relato da destruição sistemática dos índios da América do Norte, baseado em documentos oficiais do Governo Norte Americano, onde eram registradas as palavras dos próprios índios. A proposição do autor, Dee Brown, fica clara: mostrar o que aconteceu sob o ponto de vista dos índios, algo que é escondido pela história oficial.

O autor lança mão de várias fontes, como registros oficiais, autobiografias, depoimentos e descrições de primeira-mão, relaciona datas, povos indígenas, acordos e ações, tanto por parte dos índios quanto por parte do governo. Figuras como Cavalo Doido, Touro Sentado, Gerônimo e outras lendas da história indígena aparecem no livro, mas com sua real face, não deturpada por historiadores brancos.

          

Esse livro escrito por Dee Brown marcou minha vida. Ele tem um significado importante para mim.

Meu pai sempre me deu livros. Só que este livro em específico era dele, e abaixo do nome dele, ele anotou o meu. Foi um livro passado de pai para filho.

Ainda que esse seja um sentimento forte o bastante para, por si só, levar esse livro a ser o segundo da lista, a história contada pelo livro é ótima e verdadeira.

Esse livro foi responsável por eu parar de ver as coisas sobre um prisma só. Toda história tem dois lados. TODAS.

Esse livro é muito mais que um apanhado de fatos históricos. Mostra muito sobre a natureza humana.

Frase marcante

Não se vende a terra na qual as pessoas andam.

– TASHUNKA Wikto (Cavalo Doido)


 2º Musashi

Título original: Musashi

Autor: Yoshikawa, Eiji

Editora: Estação Liberdade

Ano: 1999

SINOPSE

É a história de um samurai que realmente se dedicou aos princípios de sua arte e tentou reger seus passos pelo caminho da espada. No decorrer de seu aprendizado, o jovem intempestivo Takezo se torna Musashi, ambos os nomes são as variantes de pronúncia e de significado do mesmo conjunto de ideogramas em japonês.  Relata a cultura nipônica, visitando fortemente o do respeito aos ancestrais, que são cultuados praticamente como divindades. Musashi é a busca pela formação completa do guerreiro, que deve ser útil mesmo em tempos de paz, por isso, além de se dedicar à espada, deve dedicar-se também às outras artes. Em sua jornada de aprendizado, o protagonista aprende a importância de sentir o prazer de todas as coisas, mesmo das pequenas, como a cerimônia do chá, o sumi-e, a música, a escultura, a caligrafia, a prática do zen, tudo para fazer do homem um indivíduo completo.

          

1794 páginas extremamente prazerosas de se ler. Eu (igual a todo nerd) sempre fui aficionado por samurais. O contato com esse livro trouxe um contato muito próximo com o Japão feudal. Me surpreendi quando terminei a leitura. Achei que veria batalhas épicas de samurais, mas o livro é muito mais que isso. Fiquei fascinado na descrição de uma simples cerimônia do chá.

O livro é maravilhoso e detalhista. Ele tem uma narrativa cativante, e dá uma descrição exata do Japão naquela época, mas ao mesmo tempo dá uma grande margem para você imaginar os personagens por si só.

Desenvolvi uma necessidade de ler livros complexos, sempre querendo encontrar algum livro que chegasse ao nível de “Musashi” mas até hoje não encontrei.

Frase marcante

“_Eis porque tenha talvez de aprender a conter um pouco a sua força. Terá de aprender a ser um pouco mais fraco.”- disse o ancião, ao jovem Musashi.

 

1º O engenhoso Fidalgo D. Quixote

Título: El Ingenioso Hidalgo don Quijote de la Mancha

Autor: Miguel de Cervantes Saavedra

Editora: 34

Ano: 1605

SINOPSE
Entregue ao delírio causado pela leitura excessiva de livros de cavalaria, Don Quixote sai pelas planícies espanholas para impor justiça, na companhia de seu fiel escudeiro Sancho Pança. A dupla então vive uma variada seqüência de aventuras e confrontos no limite entre a realidade e a fantasia, narradas por Cervantes com malícia, compaixão e bom humor.

          

Este livro é inatingível, é atemporal. Nunca será esquecido por qualquer um que o tenha lido.

Li a versão simplificada quando fazia espanhol há anos atrás. Depois, mais velho li a edição original, e percebi como este livro é bom.

Um velho senhor de que tanto ler livros de romance e cavalaria perdeu o juízo e em uma insana loucura nomeou-se cavaleiro e saiu pela Espanha em busca de aventuras.

Este livro tem um grande significado para mim. Don Quixote fez aquilo que muitos não fazem… seguir um sonho…

Ele seguiu e não se importou com o quão louco pareceria ou quão ridículo soou à todos ao seu redor.

Onde havia ovelhas ele via exércitos, caçou moinhos acreditando ser gigantes e buscou defender sua doce Dulcinea de Toboso.

Gosto muito da mensagem do livro. Ele de tanto ler (sonhar) não conseguiu mais distinguir  sonho de realidade. Levantou de sua poltrona, saiu de seu “castelo” confortável e tomou para si o mundo. E por isso considero como o melhor livro que li na vida.

Até mesmo Dostoiévski considera Don Quixote a lição máxima de vida. Concordo com ele. “Este livro representa  a mais grandiosa e acabada expressão da mente humana.”

Frase marcante

El que lee mucho y anda mucho, ve mucho y sabe mucho.

           

São esses meus 10 livros preferidos e cada um tem um significado diferente. Foi o melhor critério que encontrei para listá-los, pois há dezenas de livros espetaculares. Essa lista com certeza mudará com o tempo

See ya….

45 Comentário

  1. 24 de outubro de 2012    

    Eu pensei que era a única pessoa do mundo a ter lido Enterrem meu coração na curva do rio.
    Lembro que peguei na época em uma biblioteca sem ter ideia do conteúdo e realmente é um livro marcante.
    Me lembrei dele ontem, quando li na época sobre os guaranis e seu pedido de morte.
    É um livro triste, mas altamente recomendável…

    • 24 de outubro de 2012    

      Realmente é um livro muito bom… eu gosto muito da cultura indigena como um todo…
      Esse livro trás um relato verdadeiro… triste mas verdadeiro.

    • 24 de outubro de 2012    

      Lidiany vc é a administradora do gameofThronesBr,não?
      Fico lisonjeado com sua visita ao meu blog…
      Espero que tenha lido as minhas teorias nos posts anteriores e que tenha gostado…
      Obrigado pela visita!

  2. Anônimo Anônimo
    24 de outubro de 2012    

    Muito boa essa sua seleção, desses já li todos do mestre Cornwell, a tormenta de espadas e estou lendo enterre meu coração na curva do rio

  3. 24 de outubro de 2012    

    Ótima lista…

    Dos que você citou, não conheço “Bury my heart in wounded knee”, e me surpreendi que na lista tem “Eram Deuses os Astronautas?”. Eu tenho esse livro e gosto, apesar do Daniken ser muito criticado… também tenho outros livros do gênero, mas não costumo muito divulgar minhas visões a respeito, acho que é trauma porque o pessoal começou a me chamar de lunática por ler esse tipo de coisa, enfim, bela lista! 🙂

    • 24 de outubro de 2012    

      Hahahaha fica assim não Andhora! Mais pra frente farei um post especifico sobre este livro. Espero que venha aqui comentar!
      Qq um que t chame de lunática, se lesse esse livro, pensaria duas vezes em falar isso de novo. hahaha

  4. Antônio Carlos Sobrinho Antônio Carlos Sobrinho
    24 de outubro de 2012    

    Boa Noite! Desses, só li a tormenta de espadas, que também é o meu preferido da saga! Mas que interessante deve ser o rei do inverno, outra visão de Rei Arthur. Vou me informar melhor. Ao ler aqui, pesquisei em outros sites e todos falam bem desse autor e desse livro. Sou apaixonado pela temática medieval. Já que as dicas do Sr. Drunkwood são tão boas, vou arriscar essa. E ainda indico a serie Catherine da Juliette Benzoni, se ainda não leu. Parecem bregas, mas são muito bons. hahahaha. Abraços.

    • 24 de outubro de 2012    

      Obrigado pelas dicas amigo!
      Se vc gosta de historias medievais posso t indicar TODOS OS LIVROS do Bernard Cornwell. Depois das crônicas de Artur, o melhor é “As Crônicas Saxonicas”.

    • 24 de outubro de 2012    

      Pesquisarei sobre sua indicação.

  5. jussarapelizar@yahoo.com.br jussarapelizar@yahoo.com.br
    24 de outubro de 2012    

    Alguém teria o Bury my heart in wounded knee em versão pdf? me interessei muito. Passa pra mim por favor: jussarapelizar@yahoo.com.br

  6. 7 de dezembro de 2012    

    Oi!

    Resolvi sair um pouquinho de Westeros 🙂 Ótima lista. Eu também AMO de paixão Bernard Cornwell, e concordo, TODOS os livros dele são bons. Harry Potter pra mim vale qualquer um, mas meus preferidos são O Cálice de Fogo e As Relíquias da Morte. Não consegui terminar de ler O Silmarillion, mas tenho intenção de tentar de novo. Mas adoro OSDA e O Hobbit (ansiosa para o filme!!!!!) Beijos!

  7. 7 de dezembro de 2012    

    Ah! Se você gosta de fantasia (dã!), também recomendo O nome do vento, e a continuação, O teor do sábio, do Patrick Rothfuss. Estou quase terminando o segundo, e adorei a história 🙂

  8. Isabella Isabella
    29 de dezembro de 2012    

    Nossa tava olhando a sua estante e vi que lemos VÁRIOS livros em comum.
    -Bernard Cornwell AMO (não li As Crônicas Saxônicas ainda, só A Trilogia da Busca do Graal e As Crônicas de Artur)
    -Belas Maldições – Neil Gaiman AMO
    -Enterrem meu coração na curva do rio, muito bom
    -Dos livros de Tolkien ainda não li O Silmarillion nem Contos Inacabados ( mas os outros como Os Filhos de Húrin me fizeram perceber que preciso me aprofundar muito mais na História da Terra Média)
    -Ciclo da Herança (vi que você ainda não leu A Herança? Como você aguenta esperar para saber como Eragon vai derrotar Galbatorix, se ele conseguir?)
    -Deixados para Trás, eu só li o primeiro… o que você achou da série no geral? Eu estava esperando tão pouco dela, que no final acabei gostando do primeiro livro…
    -Harry Potter é uma das minhas paixões também…
    -Não li nada de Conn Iggulden ainda, mas tenho vontade… me diga, ele chega aos pés de Bernard Cornwell?

    • 21 de janeiro de 2013    

      Conn iggulden cumpre com maestria sua função de escritor. Eu gosto muito de Cornwell, mas Iggulden provavelmente chegará ao patamar de Cornwell logo logo.

      Sobre Eragon, eu desisti de ler os livros quando terminei o primeiro. não gostei muito. talvez um dia eu volte a ler a série.

      • 29 de janeiro de 2013    

        Volta sim. O primeiro é o mais fraquinho, mas depois vai ficando melhor, e a Isabella tem razão, Herança é demais. Amei. Hoje no metrô até vi uma menina com ele no braço e me deu vontade de reler a série toda 🙂

  9. 16 de janeiro de 2013    

    Lista explendida!!! Quase todos estão na minha lista top 10 também!!!
    Harry Potter para mim foi essencial, amo de paixão, sei que algumas pessoas podem até criticar, muitos julgam porque a construção literária é bem mais simples do que Tolkien, ou Martin por exemplo, mas acompanhar a série para mim foi algo simplismente maravilhoso!!
    Quanto a presença do Martin e do Tolkien na lista, não poderiam faltar de jeito nenhum, os dois são maravilhosos!!!
    Ainda não li Bernard Cornwell, mas toda vez que vou a livraria fico paquerendo os livros, essa sua colocação me deixou ainda mais na expectativa para le-los!!!
    Na minha lista incluiria Cai o Pano da Agatha Cristie, um estilo de leitura totalmente diferente, mas é uma das minhas autoras preferidas, tem uma narrativa estimulante, e nunca é obvia em seus suspenses, Cai o Pano para mim é explendido!!! Uma obra de arte da Rainha do Suspence!!!

  10. Anônimo Anônimo
    17 de janeiro de 2013    

    faltou o hobbit e outros do tolkien como o senhor dos anei o perfume……. alguns brasileiros como o cortiço, senhora, a viuvinha a carne
    e etc

  11. Kalline Kalline
    18 de janeiro de 2013    

    Oi Drunk!
    Achei fascinante seu blog, tanto que não parei de ler desde que um amigo postou uma foto de um dos seus posts no meu face!
    Achei esse particularmente interessante, pois amo ler!
    E dos que vc falou, já li O slimarillion; Harry Potter e o enigma do príncipe; O rei do inverno, gosto muito de Cornwell, e já li a trilogia do graal também;Tô lendo a tormenta de espadas (Tô super fissurada nas crônicas de gelo e fogo =p). Não li o mensageiro ainda, mas li a menina que roubava livros e é um dos meus preferidos.
    Vou pegar sua indicações.
    Ah, muito bom o post sobre o hobbit. =)

    Parabéns pelo blog!

    • 21 de janeiro de 2013    

      Realmente, Cornwell é muito bom! eu tb amo ler, e há muitos outros livros que adoro, mas quis falar sobre os 10 +…rsrsr
      Leia o mensageiro…é otimo!

  12. 20 de janeiro de 2013    

    Olá!

    Concordo com o seu top 10, mas com uma ressalva: troco O Mensageiro pelo A menina ue roubava livros. rs

    Só senti falta de um: O FÍsico, do Noah Gordon. Conhece? Um dos livros mais sensacionais que já tive a oportunidade de ler.

    E Derfel viverá para sempre em nossos corações. Trilogia maravilhosa! Só achei o Arthur bundão demais. Só eu? rs

    Parabéns pelo blog, sensacional. Recomendo para todo mundo.

    Abraços!

    • 21 de janeiro de 2013    

      Eu gostei muito de A Menina que Roubava livros, mas o Mensageiro me tocou muito.
      Pesquisarei sobre Noah Gordon.
      O Artur foi um idiota na série. Merline Derfel roubaram a cena.
      Obrigado por recomendar o Blog

      • 29 de janeiro de 2013    

        Acabei de terminar Eu sou o mensageiro, postei a resenha esses dias, você viu? Adorei também, Prefiro A menina que roubava livros, mas o final do mensageiro me pegou também. Amei 🙂

  13. joao joao
    23 de janeiro de 2013    

    Rapaz, que surpresa ao ver “enterrem meu coração na curva do rio” em sua lista. Eu li este livro há uns 25 anos aproximadamente, por indicação de um amigo bastante idealista. Me comovi, aprendi e sempre o tive na lembrança. Preciso reler.
    Só uma pergunta pra vc drunk: você leu as brumas de avalon? alguém leu?

    • 29 de janeiro de 2013    

      Esse livro é espetacular e atemporal! Meu pai leu a muito tempo atrás e me presenteou em 97 com um exemplar. Desde então já li esse livro umas 5 vezes. É inexplicavel por que releio ele.
      Sobre Brumas, eu não li. Muitos me indicaram, mas até hoje não li.

      • 29 de janeiro de 2013    

        Drunk, As Brumas de Avalon é maravilhoso, amo de paixão, mas o Cornwell desbancou ele como a saga arturiana preferida pra mim. Mas ainda amo As Brumas, já perdi as contas de quantas vezes eu li, é um livro muito especial pra mim

  14. Hugo Freire Hugo Freire
    28 de janeiro de 2013    

    Cara, ótimos livros!! Tive o imenso prazer de ler os livros citados e, realmente, todos são ótimos.
    Vc (ou alguém) já leu a série sobre Roma, da Colleen McCullough? É sensacional, vc se sente na Roma Antiga.
    E a maneira como ela desenvolve personagens históricos é extraordinária, nunca vi nada igual… (por isso não gosto muito de Conn Iggulden; a série de Roma dele é, na minha opinião, fraquíssima, se comparada a essa da Colleen.

    PS: Ela escreveu também, dentre outros, Pássaros Feridos, lindíssimo.

    • 29 de janeiro de 2013    

      Anotei a sugestão. Quero ler mais sobre Cesar.

      • Hugo Freire Hugo Freire
        30 de janeiro de 2013    

        Não vai se arrepender. O primeiro livro chama “O Primeiro Homem de Roma”, é publicado pela Bertrand

  15. Hugo Freire Hugo Freire
    29 de janeiro de 2013    

    O Físico (que a Flavia comentou acima), é excelente também. Aliás Flavia, já leu “Xamã” e “A Escolha da Dr. Cole”, também do N. Gordon? Não chegam a ser “continuações” propriamente ditas, mas é quase isso, recomendo!

    Cara, lembrei de outro que vc TEM que ler, é muito bom: Os pilares da terra, do Ken Follet

    • 29 de janeiro de 2013    

      Verdade! E Mundo sem fim, que é a sequencia, e eu até prefiro. Vou reler agora, por causa do lançamento em vídeo. Vale muito a pena. A trilogia do Século do Ken Follett também é ótima, mas só saíram os dois primeiros, Queda de Gigantes e Inverno do Mundo. Excelente também.

      • Hugo Freire Hugo Freire
        30 de janeiro de 2013    

        Comecei “Queda de Gigantes” ontem, até agora to gostando.
        O melhor livro que já li do Ken Follet foi “Buraco da Agulha”, já leu/;

        • 30 de janeiro de 2013    

          Não, só li dele os históricos mesmo, mas todo mundo fala que os de espionagem também são muito bons. Pretendo ler sim, mas minha estante está cheia de livros pra ler ainda…

  16. George Frederick George Frederick
    23 de fevereiro de 2013    

    Drunk realmente tem que ler Hoah Gordon. Todos os melhores livros dele parecem que se encaixariam perfeitamente na sua lista. Xamã é o meu preferido e ele fala muito sobre a extinção dos costumes indígenas norte-americanos, assim como a invasão de suas terras.
    Já o Físico explora a idade média, a inquisição, e as origens da família Cole. E ambos falam de um assunto tão incrível e apaixonante que é a medicina, uma das ciências mais importantes. Noah Gordon passa, literalmente, anos pesquisando sobre geografia e história para escrever uma novela, narrando com precisão. Ele realmente faz você se sentir naquela época e causa choques culturais. Só o Xamã e o Físico passam por: Inglaterra, Escócia, França, uma coisa bárbara que viria a ser a Alemanha, as extintas Pérsia e Alexandria, e finalmente os Estados Unidos. O mais empolgante é ter um livro cuja continuação se passa muitos séculos depois. [O Físico se passa no século XI – Xamã se passa no século XVIII – A escolha da Dra. Cole no século XX]

    • Milton Milton
      18 de junho de 2016    

      Drunkie,amo o seu blog e sempre acompanho seus comentários do seriado Guerra dos Tronos.Em relação aos livros,eu já li quase todos,menos Enterrem meu coração na curva do rio,que com certeza vou procurar e ler.Em relação ao Noah Gordon,achei O FÍSICO um dos melhores livros que já li,o segundo mantem o ritmo do primeiro e fala da extinção indígena,e o terceiro eu desisti logo no começo,por achar o livro massante ( é uma trilogia que fala sobre médicos ).Outro livro que é pouco divulgado e que eu realmente gostei é o NO CORAÇÃO DO MAR,livro que conta a verdadeira história da Moby Dick,é aquele tipo de livro que não damos nada e de repente não conseguimos parar de ler,pois queremos saber o que vai acontecer..Outros livro,agora ficção que eu li e gostei foi o A PASSAGEM do Justin Cronin,mas sou mais fã de livros com bases históricas do estilo Ken Follet,por sinal foi Ken Follet que me introduziu na literatura inglesa,apesar que o Bernard Corwell

  17. 13 de junho de 2013    

    gostei tanto do post que fiz um meu também. XD e temos alguns em comum! http://geishametalica.com.br/2013/06/13/10-livros-que-marcaram-minha-vida/

  18. 29 de junho de 2013    

    Huum… Fiquei com vontade de ler O Rei do Inverno. Pode ser que o compre se o vir em promoção por cá 😛

    • 29 de junho de 2013    

      Leia! É uma saga muito boa. Muito boa mesmo

  19. Julio Julio
    25 de julho de 2013    

    Parabéns pelo post você tem bom gosto. Conheci o blog a pouco tempo mas já sou fã.
    Minha lista:
    Silmarillion – Tolkien
    A Tormenta de Espadas – Martin
    O Retorno do Rei – Tolkien
    O Rei do inverno – Cornwell
    A Odisséia – Homero
    A Ilha do tesouro – Robert Louis Stevenson
    Frankenstein – Mary Shelley
    Robinson Crusoé – Daniel Defoe
    As Minas do Rei Salomão – Henry Rider Haggard
    A Coisa – Stephen King

    Me sinto até mau tendo que excluir alguns, mas que é isso.

  20. Matheus Volpe Barone Matheus Volpe Barone
    5 de setembro de 2014    

    Drunkwookie, você já leu “A caverna de cristal?”. É o primeiro livro de uma trilogia que conta a história do rei Arthur, porém do ponto de vista do mago Merlin. Alias, na verdade é a história do Merlin contado por ele próprio, desde o seu nascimento, até o momento em que ele escreve o livro, já bem velhinho.
    Te aconselho a leitura, é um dos livros que marcou minha infância.

    A propósito, te admiro por ter conseguido listar os 10 melhores livros, pois fui tentar fazer o mesmo e deu um nó na minha mente. É muito difícil listar os melhores, dentre tantas histórias e personagens!

    Alguns livros que eu recomendo:

    – Negras Raízes
    – Papillon
    – A Caverna de Cristal ( História do mago Merlin)
    – As Colinas Ocas ( História do mago Merlin)
    – O Ultimo Encantamento ( História do mago Merlin)
    – Toda a saga Percy Jackson
    – Crônicas de Gelo e Fogo
    – Saga Harry Potter
    – Saga Eragon
    – Feliz Ano Velho
    – A Crônica do matador do Rei

    E tem muito mais, que agora não estou lembrado.

    Parabéns pelo ótimo trabalho feito no blog, gostaria de ter a oportunidade de conversar com você e discutir as muitas teorias que você faz.

    Grande Abraço!

  21. Gianluca Gianluca
    5 de setembro de 2014    

    Um livro que eu li e achei muito marcante foi O Palácio de Inverno, a narrativa dele é umas das melhores que eu ja vi, e a história é boa demais, recomendo!

  22. Vanessa Campagnaro Vanessa Campagnaro
    5 de setembro de 2014    

    Adorei seu post! Escreva mais vezes sobre dicas de livros.
    As Crônicas do Matador do Rei e as Crônicas de Artur que li e amei, conheci através do seu blog!

    • 5 de setembro de 2014    

      Oi, Vanessa! Tudo bem? Eu farei isso sim. Agora o blog voltará c posts semanais, e tenho novos livros para indicar! Li bastante esse ano… tenho coisas legais para indicar.
      Ah… Espero que tenha lido a teoria de A Crônica do Matador do Rei…

  23. Sandro Sandro
    2 de fevereiro de 2015    

    Havia lido alguns dos livros da lista. São todos muito bons (ao menos os que tinha lido). Por isso, decidi ler os outros. Já havia lido: O Simarillion (como todos os outros do Tolkien), O Enigma do Principe (como todos os outros da Rowling), e a Tormenta das Espadas (como todos os outros do George). Li, seguindo a lista recomendada, todos os livros da série O Rei do Inverno, achei excelente!!! Atualmente estou lendo os livros da série Musashi. Fiquei surpreso quando vi que se trata de um dos livros mais lidos no Japão, com estimativa de mais de 120 milhões de livros vendidos. Excelente história!!!

  24. Gabriel Gabriel
    20 de junho de 2015    

    Sim, faz quase 3 anos da postagem, mas…
    Cara, é praticamente a lista que eu faria! :0
    Harry Potter marcou minha inserção na literatura. Pensa como fica a cabeça de um moleque de 12 anos com uma história daquelas!
    Outro livro que li bem jovem foi Artemis Fowl.
    Um pouco mais velho descobri o Tolkien e a Terra Média, mais ou menos junto da versão integral de Dom Quixote (eu só havia lido a adaptação).
    E Enterrem meu coração na curva do rio foi realmente uma surpresa. Um dos melhores livros que já li.
    Ah, e parabéns pelo site! xD

  25. Solis Solis
    24 de junho de 2015    

    Enterrem Meu Coração na Curva do Rio, com certeza será minha próxima leitura, estou nas ultimas páginas de
    O Guerreiro Pagão. “Musashi” é tudo que tu falou e mais ainda é cativante, é emocionante, é uma lição de vida.
    abraço.

No entanto, Pings

  1. 10 Livros que Marcaram minha Vida « geisha metálica on 13 de junho de 2013 at 11:33
  2. Vale a pena ler - As Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell | DrunkWookie on 13 de dezembro de 2014 at 03:05
  3. O Silmarillion - Parte I | DrunkWookie on 29 de abril de 2015 at 00:01
  4. O Silmarillion – Parte I | Drunkwookieblog on 9 de setembro de 2015 at 03:19
  5. Vale a pena ler – As Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell – DrunkWookie on 15 de janeiro de 2016 at 19:05
  6. 16 Livros para 2016 – DrunkWookie on 6 de outubro de 2016 at 16:58
  7. Livros em 2017 – Parte IV – DrunkWookie on 10 de outubro de 2017 at 17:21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja Madrinha/Padrinho do Drunkwookie

Veja o projeto no Padrim, colabore e concorra aos sorteios

Assine "Newsletter Drunkwookie"

Receba as publicações do blog, direto no e-mail!

Parceiros

Publicidade

Show Buttons
Hide Buttons